Notícias‎ > ‎

Primeira Avaliação Quadrienal teve início na sede da CAPES

postado em 10 de ago de 2017 10:02 por Diretoria de Avaliação   [ 10 de ago de 2017 10:07 atualizado‎(s)‎ ]

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) deu início nesta segunda-feira, 3 de julho, ao processo periódico de avaliação de todos os cursos de pós-graduação stricto sensu (mestrados e doutorados) em funcionamento no Brasil, a Avaliação Quadrienal.

Na abertura do evento, o presidente da CAPES, Abílio Baeta Neves, agradeceu aos coordenadores de área e respectivas comissões de avaliação, que, em trabalhos prévios, foram capazes de preparar o material necessário para os trabalhos avaliativos. “Os coordenadores têm se reunido incansavelmente por períodos longos. A Avaliação se transformou em uma operação complexa e sofisticada. A Plataforma Sucupira permite que o volume de dados e informações que trabalhamos hoje seja muito maior do que há alguns anos”, definiu.

03072017 abertura quadrienal img 6889
Abílio Baeta Neves definiu o processo de Avaliação como 
momento central da relação da CAPES e o Sistema 
Nacional de Pós-Graduação 
(Foto: Haydée Vieira – CCS/CAPES)

De acordo com Baeta Neves, o processo se tornou o momento central da relação da CAPES e o Sistema Nacional de Pós-Graduação. “A Avaliação ganhou espaço próprio. Há uma expectativa das instituições e dos docentes, mas também dos estudantes e do conjunto da sociedade brasileira.”

A performance acadêmica dos programas será avaliada por comissões responsáveis por cada uma das 49 áreas de avaliação até o dia 4 de agosto. De modo a otimizar o trabalho, cada semana será dedicada a um conjunto de áreas. Nesta primeira semana, reúnem-se as seguintes áreas: Ciência Política e Relações Internacionais; Antropologia/Arqueologia; Educação; Ciência de Alimentos; Zootecnia/Recursos Pesqueiros; História; Ciências Biológicas II; Filosofia; Geografia; Ciências Agrárias I; Matemática/ Probabilidade e Estatística.

Neste ano, haverá uma semana da Avaliação dedicada especificamente aos programas de mestrado profissional voltados à formação de professores da educação básica (PROEBs).

Esta é a primeira edição em que o período de avaliação abrange quatro anos (2013 a 2016). Até a última avaliação, realizada em 2013, o intervalo entre avaliações era de um triênio. No total, serão avaliados 4178 programas de pós-graduação stricto sensu. O processo de análise vai se basear nos dados informados pelos programas por meio da Plataforma Sucupira. Aproximadamente 1,5 mil professores e pesquisadores de todas as regiões do país estarão na CAPES para atuar como consultores.

03072017 abertura quadrienal img 6869
Esta é a primeira edição em que o período de Avaliação 
abrange quatro anos (2013 a 2016) 
(Foto: Haydée Vieira – CCS/CAPES)

Encerradas as avaliações pelas comissões de área, o Conselho Técnico-Científico da Educação Superior (CTC-ES) avalia os resultados em reuniões previstas para o período de 21 de agosto a 01 de setembro. Nos encontros do CTC-ES ocorrerão as deliberações que definem os resultados finais. A divulgação dos resultados definitivos está prevista para acontecer em 15 de setembro.

Sobre a Avaliação
Iniciada em 1976, a avaliação da pós-graduação stricto sensu é o instrumento fundamental do Sistema Nacional de Pós-Graduação (SNPG). Os resultados da avaliação têm usos diversos: estudantes se baseiam nas notas para escolher seus futuros cursos, e agências de fomento nacionais e internacionais orientam suas políticas de fomento segundo as notas atribuídas pela avaliação. Os estudos e indicadores produzidos pela avaliação para induzir políticas governamentais de apoio e crescimento da pós-graduação e estabelecer uma agenda para diminuir desigualdades entre regiões do Brasil ou no âmbito das áreas do conhecimento.

03072017 abertura quadrienal img 6952
Cerca de 1,5 mil professores e pesquisadores de todas 
as regiões do país atuarão como consultores 
durante a Quadrienal 
(Foto: Haydée Vieira – CCS/CAPES)

Conforme o desempenho acadêmico no quadriênio, os cursos recebem conceitos que variam de 1 a 7. Notas 1 e 2 são consideradas insuficientes e provocam o descredenciamento do curso; nota 3 corresponde a desempenho médio, que apresenta padrões mínimos de qualidade; notas 4 e 5 significam um desempenho entre bom e muito bom, sendo 5 a nota máxima para programas que possuem apenas curso de mestrado. Notas 6 e 7 indicam desempenho equivalente a padrões internacionais de excelência.

(Pedro Arcanjo)

Comments