Notícias‎ > ‎

Coordenadores falam sobre situação atual e perspectivas de suas áreas

postado em 10 de ago de 2017 10:26 por Diretoria de Avaliação

A terceira semana de trabalhos da Avaliação Quadrienal 2017 reuniu, de 17 a 21 de julho, no edifício-sede da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), em Brasília, os coordenadores das áreas de Astronomia e Física; Educação Física; Enfermagem; Farmácia; Geociências; Medicina I; Medicina II; Medicina III; Nutrição; Odontologia; Química; e Saúde Coletiva.

25072017 materia quadrienal coordenadores 9486
Para o coordenador da área de Medicina I, José Antônio Gontijo, 
a perspectiva é de manutenção da qualidade dos cursos 
(Foto: Haydée Vieira - CCS/CAPES)

Para o coordenador da área de Medicina I, José Antônio Gontijo, a área hoje é estruturada, tendo passado por importantes modificações em seu processo de avaliação, acompanhando as outras áreas médicas nesse processo de consolidação. Gontijo destacou ainda a facilidade na obtenção de dados nesta edição da Quadrienal. “O processo de avaliação foi muito bem estruturado. Tivemos acesso à maioria dos dados dos quais necessitamos para a avaliação, o que se tornou uma facilidade nas nossas atividades. Nossas perspectivas são de manutenção da qualidade dos cursos”, ressaltou.

25072017 materia quadrienal coordenadores 9521
Os programas da área de Física, segundo Sylvio Canuto, 
estão consolidados e experientes 
(Foto: Haydée Vieira - CCS/CAPES)

A avaliação da área de Física, segundo o coordenador, Sylvio Canuto, é feita em um nível muito alto, devido à consolidação e experiência de seus programas. Para Canuto, o processo de avaliação ainda precisa ser rediscutido. “Chegamos em um ponto em que a avaliação precisa ser repensada. Nesta edição, já incorporamos alguns aspectos qualitativos, mas eles precisam estar mais presentes ainda nesse processo. Em geral, ficamos felizes com a organização com que fomos recebidos aqui”, disse.

25072017 materia quadrienal coordenadores 9536
O coordenador da área de Saúde Coletiva ressaltou 
a importância da avaliação da qualificação 
da produção científica da área
(Foto: Haydée Vieira - CCS/CAPES)

Responsável por coordenar os 87 programas de pós-graduação da área de Saúde Coletiva, entre acadêmicos e profissionais, Guilherme Werneck, ressalta a importância da avaliação da qualificação da produção científica da área. “Precisamos hoje, na Saúde Coletiva e em outras áreas do conhecimento, fazer com que a nossa produção científica de qualidade tenha mais impacto, não só impacto científico nacional e internacional, mas também impacto social. Para a área de Saúde Coletiva, isto é muito importante: uma pesquisa que tenha impacto científico e que esse impacto contribua para modificar as condições de saúde da população”, ressaltou.

25072017 materia quadrienal coordenadores 9592
Rodacki apontou o crescimento da área e 
os desafios que essa expansão acarreta 
(Foto: Haydée Vieira - CCS/CAPES)

O coordenador da área de Educação Física, André Rodacki, aponta o crescimento da área e os desafios que essa expansão acarreta. “A área tem crescido muito. Tivemos em determinados momentos do quadriênio um volume de propostas novas que quase correspondeu à metade da área. Nosso desafio é manter essa qualidade. Passamos por um período de 10 ou 15 anos no qual 90% do corpo decente não tinha publicação e, hoje, invertemos esse quadro. É uma mudança muito grande na dinâmica da área e mostra um crescimento não apenas quantitativo, mas também qualitativo”, explicou.

(Gisele Novais)

Comments